Dragão do Mar divulga Curadoria Artística dos Editais Culturais 2015/2016

12 de Maio de 2015

Com inscrições encerradas no último dia 29 de abril, os Editais Culturais 2015/2016 entram, nesta terça-feira (12), na fase de análise dos 369 projetos inscritos e deferidos, nas dez categorias contempladas. Designados pela diretoria do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura dentre profissionais de notório saber, são três curadores por categoria. Os resultados classificatórios da Curadoria Artística serão divulgados no site do Dragão do Mar (www.dragaodomar.org.br) até próximo dia 31 de maio.

Para a linguagem artística CIRCO, foram convidados Claudio Ivo, Sâmia Bittencourt e Uiara Santana; para a MÚSICA, Eric Barbosa, Amaudson Ximenes e Darwin Marinho; para a FOTOGRAFIA, Igor Grazianno, Galba Sandras e Nívia Uchoa; para as ARTES VISUAIS, Solon Ribeiro, Jacqueline Medeiros e Vando Figueiredo; para a PERFORMANCE, David da Paz, Yuri Firmeza e Pablo Assumpção.

Para a DANÇA, foram designados Rosa Primo, Angela Sousa e Paulo Lima; para o CINEMA, Cesar Teixeira, Armando Praça e Francisco Salvino; para o TEATRO, foram designados Thiago Arrais, Cacá Araujo e Danilo Pinho; para a LITERATURA, Urik Paiva, Goreth Albuquerque e Sarah Diva Ipiranga; e para os PONTOS NO DRAGÃO (Pontos de Cultura), Xauí Peixoto, Silma Magalhães e Zeno Falcão. Logo após o texto, é possível conferir o currículo resumido de cada um dos curadores.

Editais Culturais 2015/2016

Os Editais Culturais 2015/2016, editais de ocupação do Dragão do Mar, foram lançados no dia 24 de março deste ano. Com inscrições abertas no dia 26 de março e encerradas no dia 29 de abril, os editais selecionarão os projetos que formarão a nova Temporada de Arte Cearense do Dragão. Foram 370 projetos inscritos e apenas um indeferido, resultando em 369 projetos a serem analisados pelos 30 curadores. Nos Editais Culturais 2013/2014, foram 320 os projetos deferidos.

Com investimento de R$ 1,3 milhão, os editais apresentam avanços importantes. Além de reajustes nos recursos destinados ao pagamento dos cachês e inclusão de duas novas linguagens (Fotografia e Performance) e da categoria Pontos de Cultura, outros espaços de exibição foram incluídos, tanto no Dragão do Mar, quanto no Centro Cultural Bom Jardim. O projeto visa ainda ao incentivo para que cada vez mais artistas, coletivos, pesquisadores e produtores do interior do Ceará participem.

CURADORIA ARTÍSTICA

1. Artes Visuais

Jacqueline Medeiros
Doutoranda e Mestre em História e Crítica de Arte pelo Instituto de Artes da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Graduada em Artes Visuais pela Faculdade Grande Fortaleza. Organizou o livro Roberto Pontual Obra Crítica (2013) juntamente com a pesquisadora Izabela Pucu e possui artigos publicados na revista Dasartes(RJ) e em anais de congressos brasileiros sobre história e crítica de artes. Atualmente, é gerente do Centro Cultural Banco do Nordeste Fortaleza, onde desenvolve projetos de curadorias, formação e pesquisa em artes visuais.

Vando Figueiredo

Nasceu em Fortaleza/CE (1952) e iniciou sua carreira, em 1988, na IX Unifor Plástica. Diplomado em desenho e pintura, através de curso ministrado por Raul de La Nuez, licenciado pelo Instituto Superior de Arte de Cuba. É desenhista, pintor, gravurista e escultor. Lecionou desenho e pintura, na Universidade Federal do Ceará (UFC), Universidade Sem Fronteiras (USF), Faculdades Integradas Grande Fortaleza (FGF), todas sediadas em Fortaleza – CE, bem como no Museu de Arte Contemporânea Dragão do Mar, Fortaleza/CE e no Centro de Cultura de Guaiúba/CE. Constam em sua trajetória várias exposições individuais e coletivas, além de participações nos mais importantes salões de arte do Brasil e do exterior.

Solon Ribeiro

Graduado em Arte e Comunicação, com Especialização em Fotografia pela L’ Ecóle Superieure des Arts Decoratifs (Paris, França). Conclusão em 1991. Revalidação de diploma pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, em Desenho Industrial com habilitação em Programação Visual. Já ministrou aulas e cursos de extensão na Universidade Federal do Ceará, Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura, Faculdade Integrada do Ceará e Faculdade Evolutivo. Desde 1983, contabilizou mais de 16 exposições individuais e 28 exposições coletivas, no Brasil e exterior.

2. Cinema

Cesar Teixeira

É produtor cultural e realizador. Diretor e curador da Mostra de Cinema de Iguatu. Fez a direção de produção do FAROL – Festival Internacional de Cinema de Fortaleza e foi o responsável pela Mostra Alumbramento. Diretor de Produção do II CineFestival – Festival Internacional do Vale do Jaguaribe. Atua no Festival Ibero Americano de Cinema – Cine Ceará e Mostra Cinema e Direitos Humanos no Hemisfério Sul como produtor. Produtor executivo do curta “O Homem Que Virou Armário” (2015), de Marcelo Ikeda. Diretor de Produção dos filmes: “Represa” (2014), de Diego Hoefel; “Titan” (2014), de Kamille Costa; Filmes Coletivos do Iguatu.doc (2013); “Amor no Ar” (2012), de Sara Benvenuto; “Acabou­se” (2011), “O Estranho Mundo das Outras Gentes” (2009), “A Feira” (2007), de Patrícia Baía, entre outros. Está finalizando o seu primeiro curta (roteiro e direção) com o título provisório “Prelúdio Azul”.

Armando Praça

Formado pelo Colégio de Dramaturgia e de Realização em Cinema e Televisão do Instituto Dragão do Mar (2000-2001). Professor em cursos de audiovisual nas áreas de Roteiro, Direção, História do Cinema nas seguintes instituições, projetos e ONGs: ONG Fábrica de Imagens, ONG ENCINE, ONG IDS – Instituto de Desenvolvimento Social, Projeto Cultura em Movimento – SECULT Itinerante – Secretaria de Cultura do Estado do Ceará e Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura. Realizou importantes mostras como Mostra Todo Glauber, Mostra Panorama Documental, Mostra Cinema Marginal e Caravana Farkas. Experiência profissional em 15 curtas-metragens e 15 longas-metragens, entre eles, “O Céu de Suely”, “Praia do Futuro” e “Bezerra de Menezes – O Diário de um Espírito”.

 

Francisco Salvino Lôbo

Formado em Ciências Sociais pela Universidade Federal do Ceará (UFC). Participou de inúmeros projetos e mostras em audiovisual como Secult Itinerante – Projeção de Cinema Cearense, Mostra Itinerante de Cinema e Vídeo Nordestino, For Rainbow. Produção da Itinerância e Exibidor no Festival Nóia de Cinema Universitário. Produziu os curtas-metragens/documentários “A Feira da Meia-Noite” (2010) e “Iemanjá, a Rainha do Mar” (2014). Criação e implantação de museus no Maciço de Baturité (Projeto Ponto de Cultura Minc – fotografia e vídeo), entre várias outras ações e projetos de incentivo à cultura. Atual membro de audiovisual do Conselho Municipal de Política Cultural.

3. Circo

Sâmia Bittencourt

Curso Superior em Arte Cênicas­CEFET. Formação em teatro, dança e acrobacias em mais de 15 cursos no Brasil desde 1993. Tem participação em 14 espetáculos de teatro, entre eles, “Majestic Bar” (2008) e “Rompendo o silêncio”, com direção de Sâmia e Vanéssia Gomes. Tem participações em oito espetáculos de dança, entre eles, “Daqueles que se sente saudade”, que dirigiu, além de inúmeros espetáculos de acrobacias. Ministrou cursos e oficinas em teatro, técnica corporal, teatro de rua, clown etc. Tem sete prêmios em atuação, entre os quais, o de Melhor Atriz Coadjuvante em “Majestic Bar”, no XXIII Dia Mundial do Teatro.

Cláudio Ivo

Ator, autor e diretor de teatro, circense, sapateador, instrutor de clown, e atualmente é Presidente da Associação dos Circos e Artistas do Nordeste.

Em dezembro de 2000, na audição do Cirque du Soleil/Canadá foi selecionado para integrar o elenco do mesmo. Dedica-se ao teatro desde 1987, buscando uma formação eclética como ator. Em 2000, através de Virtuose Bolsa Cultura – do Ministério da Cultura, realizou formação na Escola Nacional de Circo – RJ. Enquanto ator, tomou parte nos seguintes espetáculos: “Deus lhe Pague”, “Que belo dia”, “Loucos e outros seres”, “Don Pirralho e a poção mágica, “Nada, Nenhum e Ninguém”, “Circolando” e “Pratativando”. Tem participações também em comercial para TV, publicidades e no curta-metragem “O artista de rua e a bailarina”. Trabalhou ainda nos espetáculos “Mímica em Quatro Atos” e “Ballet Alice” (dança contemporânea). O facilitador Claúdio Ivo também ministra uma residência permanente no Theatro José de Alencar com módulos de introdução ao clown, malabares, pantomima e outras técnicas circenses.

Maria Uiara de Santana

Acrobata e atriz de teatro. Nascida no ambiente circense, atuando desde os quatro anos de idade. Formou a Trupe Uiara Circense, companhia para resgatar a dramaturgia circense. Suplente do Conselho Municipal de Cultura (Secultfor). Instrutora Circense do Conselho Comunitário dos Moradores do Parque São José. Trabalhou em vários circos como: Circo Continental – Acrobacia e teatro; Circo Robatini – Acrobacia e teatro; Circo Halley – Acrobacia e teatro; Circo Alegria Show – Proprietária, Acrobacia e teatro; e Circo Escola do Bom Jardim – Instrutora.

 

 

4. Dança

Rosa Primo

É professora dos Cursos de Dança da Universidade Federal do Ceará – UFC. Doutora, com estágio de um ano (2008) no Curso de Dança da Universidade Paris 8 (França); tendo centrado suas pesquisas nas questões que envolvem a corporeidade dançante. Graduada em jornalismo (PUC de Campinas – São Paulo). Líder do Grupo de Pesquisa Concepções Filosóficas do Corpo em Cena (CNPq), membro da Association des Chercheurs en Danse e coordenadora do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência – Pibid Dança (CAPES). Foi coordenadora de dança da Secretaria de Cultura de Fortaleza (SECULTFOR). Intérprete e criadora do solo em dança “Encanta o meu Jardim”. Autora do livro “A dança possível: as ligações do corpo numa cena”.

Angela Souza de Araújo

Artista-pesquisadora de Dança, Mestre em Dança pelo PPGDança da Escola de Dança da Universidade Federal da Bahia, possui graduação em Ciências Sociais pela Universidade Federal do Ceará. Cursa Pós-Graduação Lato Sensu em Sistema Laban/Bartenieff na Faculdade Angel Vianna(RJ). Diretora Assistente do Conexão Dança, um conjunto de ações que estimulam trocas/reflexões em torno de conceitos/questões contemporâneas na Dança, Performance, Artes visuais, Teatro e outras linguagens. Tem uma formação diversificada na área da dança, em particular sua atuação na Companhia da Arte Andanças, dirigida por Andréa Bardawil, que desenvolve um trabalho e investigação em dança contemporânea. Com formação no Colégio de Dança do Ceará, no período de 2000 a 2002, como coreógrafa, tendo realizado dois trabalhos Coreográficos: Instante (2001) e História Colorida (2002), além da participação como bailarina em outras montagens. Atualmente, vem colaborando artisticamente com criadores em dança da cidade de Fortaleza e articulando ações e eventos de dança, como o Conexão Dança (2011, 2012, 2013 e 2014), que acontece em São Luís/MA e a Mostra Prodança (2012), entre outros.

Paulo Lima

Iniciou seus estudos em Balé Clássico aos 10 anos de idade, com a CHORUS Cia. de Dança. Aos 16 anos, passou a trabalhar a modalidade de jazz, fazendo oficinas no Rio de Janeiro com Carlota Portella, Nora Esteves (clássico) e grandes nomes da dança brasileira. Aos 18 anos, volta ao Ceará tendo assim aulas com renomados professores cearenses, dentre eles, Ernesto Gadelha, Rosa Primo, Mônica Luiza, Madiana Roncy, Rossana Pucci e Wilemara Barros. Em 2005, integra o casting de bailarinos da Edisca e no ano seguinte faz oficinas com bailarinos do Grupo Corpo (Salvador) e Déborah Colker (Rio e Fortaleza), companhias referências no Brasil e no mundo. Aos 25 anos, passou a coreografar e dirigir sua própria companhia, a Experimentus Cia. de Dança (2014), que foi selecionada para dançar em 2009 no Festival de Almada Portugal.

 

5. Fotografia

Galba Sandras

Nascido em Fortaleza, Galba Sandras estudou fotografia comercial, em Seattle (USA), no Seattle Central Comunity College e durante esse tempo atuou em grandes laboratórios locais, desempenhando várias funções. Em 1987, logo que concluiu o curso deu início à sua carreira, atuando principalmente na área de moda e ilustração publicitária. Teve a oportunidade de trabalhar em diversas cidades como Chicago, São Francisco, Kansas City, Atlanta e, por último, em Nova York. Lá permaneceu por dois anos antes de retornar a Fortaleza onde está desde 1996 dando continuidade a seu trabalho fotógrafo de moda e ilustração publicitária. Desenvolve ainda um trabalho em Fine Art Nude ao longo de sua carreira e ministra cursos e workshops no tema.

Nívia Uchôa

Geógrafa, Fotógrafa e Cineasta há 21 anos, natural de Aracati-CE, reside em Juazeiro do Norte – CE, licenciada em Geografia pela Universidade Regional do Cariri – URCA em 1998.1, foi Professora substituta no Centro de Artes Violeta Arraes Gervaiseau Universidade Regional do Cariri – URCA Campus Barbalha e Campus Pirajá em Juazeiro do Norte nos anos de 2009 a 2011 onde ministrou disciplinas de Fotografia, Cinema, TV e Vídeo, Projetos e suportes, Fundamentos da visualidade, História da Arte I e II. Hoje, atua como free lancer para empresas privadas, públicas, jornais, revistas. Professora de fotografia e audiovisual em cursos livres para entidades públicas e privadas e em projetos sociais. Membro do Instituto de fotografia do Ceará – I Foto, Rede de Produtores Culturais da Fotografia no Brasil, membro do Fórum de Fotografia Cearense, membro do Instituto da Fotografia Cariri – FOCA, membro do coletivo Quadrilha Fotográfica e grupos de audiovisual no estado do Ceará. Participou de várias exposições coletivas de fotografia. Autora do livro “Água pra que te quero!” (1ª e 2ª edições).

Igor Grazianno

Bacharel em Comunicação Social com habilitação em Publicidade e Propaganda (UFC) e especialização em Audiovisual em Meios Eletrônicos (UFC). Cria, planeja e produz ensaios fotográficos e eventos dentro do ambiente da cultura. Ministra workshops, oficinas e cursos de fotografia. Já participou de mostras coletivas, foi jurado do Prêmio Chico Albuquerque de Fotografia (2014). Produtor executivo do Núcleo de Produção Audiovisual do Departamento de Comunicação da UFC (2004–2005). Membro do quadro de professores das Escolas Travessa da Imagem (desde junho de 2012) e do Porto
Iracema das Artes (setembro de 2013).

6. Literatura

Goreth Albuquerque

Pedagoga pela Universidade de Fortaleza (UNIFOR); graduanda em psicologia pela Universidade de Fortaleza (UNIFOR). Membro da Associação Aracê, ONG que desenvolve projetos sociais e formação em espaços formais e não formais de educação. Atuou como professora, coordenadora e supervisora pedagógica em escolas de Educação Infantil e Ensino Fundamental da rede particular de Fortaleza. Experiência como formadora em instituições públicas e privadas, atuou como Coordenadora do Projeto Rede Educar SESC e como Coordenadora Regional da Formação Continuada de Educadores do SESC Ceará. Tem experiência em docência no nível superior (Disciplina de Literatura Infantil e História do Ensino da Arte na Educação no Brasil), na Faculdade 7 de Setembro. Através da Associação Aracê, coordenou e foi mediadora do Curso de Formação em Literatura Infantil e Formação de Leitores, para a SEDUC, no Eixo Literatura Infantil e Formação de Leitores, do PAIC (Programa Alfabetização na Idade Certa), com 120h. Foi parecerista do edital de literatura da coleção PAIC PROSA E POESIA, em 2011. Tem artigos publicados sobre as experiências do PAIC, nos livros Práticas de Leitura no contexto da escola das diferenças(2010) e do Museu da IMAGEM e do SOM/Ce (MIS), no livro Tempo, Espaço e Memória da Educação (2010), ambos pela editora da Universidade Federal do Ceará. Contadora de histórias.

Sarah Diva da Silva Ipiranga

Professora Adjunta de Literatura Comparada do Curso de Letras da Universidade Estadual do Ceará. Pós-Doutora em Literatura Brasileira pela Universidade de Lisboa (Centro de Estudos Comparatistas). Líder do Grupo de Pesquisa Ateliê de Literatura e Arte (UECE_UFC/CNPq). Coordenadora do Grupo de Estudo: Memória, formação e identidade. Entre suas publicações, destacam-se: “A exumação da morte: angústia e memória em Nuno Júdice e Jáder de Carvalho”. In Cadernos de Literatura do Porto; “Childhood’s water: child and memory in Jáder de Carvalho’s poetry”. In Childhood & Philosphy.; “As estações do eu: infância, velhice e memória na poesia de Jáder de Carvalho”. In Revista de Letras (Fortaleza). É autora do livro O sol na palavra: a literatura sob o signo solar.

Urik Paiva

Graduação/Licenciatura Plena em Letras, Português/Literatura, pela Universidade Estadual do Ceará/UECE. Foi coordenador de Políticas de Literatura, Livro e Leitura da Secretaria de Cultura de Fortaleza (Secultfor). Editor assistente e gerente de mídias sociais da Editora Aletria (MG).

 

7. Música

Eric Barbosa

Multi-instrumentista, compositor, produtor musical, pesquisador sonoro e artista multimídia. Eric Barbosa em suas vivências segue um fluxo intenso de participações em gravações, concertos, shows e colaborações nos trabalhos de artistas, como: Narcélio Grud (CE), Dustan Gallas (CE), Dudu Tsuda (SP), Kiko Dinucci (SP), Juliana R. (SP), Macaco Bong (MT), Rafa Barreto (SP), NME – Nova Musica Eletroacústica (SP), Eufemya (ARG/BRA) e Operators (ALE). O artista desenvolve um solido trabalho como compositor e instrumentista do grupo experimental Fóssil. No contexto de pesquisa sonora e audiovisual, realiza um trabalho de mapeamento sonoro como colaborador do portal Fe no Tambor – registrando as manifestações em terreiros de umbanda e candomblé no estado do Ceara. No mesmo campo de pesquisa sonora, desenvolve criações em videoartes, videopoesia, performances e instalações sonoras.

Darwin Marinho

É produtor, designer e dj de Fortaleza. Sócio e produtor cultural na empresa Mambembe – Comida e Outras Artes produziu shows locais e nacionais. Discoteca junto ao coletivo Fertinha, com quem se apresentou na Bienal Internacional de Dança, Theatro José de Alencar, Maloca Dragão, Projeto Concertos com a Orquestra Eleazar de Carvalho, Revéillon e Carnaval de Fortaleza. Desenvolve uma pesquisa que relaciona o dj como xamã contemporâneo e as festas como rituais. Ministrou curso de Formação de Repertório em Música Brasileira para DJs. roteiro e direção no curta-metragem “Sertão Renderizado”, de Daniel Bandeira, premiado no I Edital Revela Ceará Jovem. Assistente de direção do curta “Calçadas”, de Beatriz Jucá, premiado no edital Fortalezas, de 2009, da Secretaria de Cultura do Município de Fortaleza.

Amaudson Ximenes

Possui graduação em Ciências Sociais pela Universidade Estadual do Ceará (2000) e Mestrado em Políticas Públicas e Sociedade pela Universidade Estadual do Ceará (2003). Tem experiência na área de Sociologia, com ênfase em Sociologia do Desenvolvimento, Terceiro Setor, Política Cultural e Produção Musical. Atualmente, atua na Coordenação do Ponto de Cultura ABC Digital, através do Rock.Doc, curso de audiovisual voltado para a formação de jovens na área de videoclipes e documentários, com patrocínio da Prefeitura Municipal de Fortaleza, através da SECULTFOR. É o atual produtor do programa BNB do Rock-Cordel, do Centro Cultural Banco do Nordeste, em Fortaleza. Desde 2004, atua como um dos produtores da Feira da Música de Fortaleza. Organização de periódicos referentes ao universo da música e constante participação na mídia impressa e eletrônica atendendo as solicitações de reportagens referentes ao mesmo.

8. Performance


Pablo Assumpção Barros Costa

Professor Adjunto dos cursos de Licenciatura e Bacharelado em Dança do Instituto de Cultura e Arte da Universidade Federal do Ceará. Possui graduação em Comunicação Social pela Universidade Federal do Ceará (1999); mestrado em Estudos da Performance pela New York University (2002); mestrado em Comunicação e Semiótica pela PUC-SP (2006); e doutorado em Estudos da Performance pela New York University (2013). Tem experiência na área de Performance, com ênfase em estudos do corpo e etnografia, atuando principalmente a partir dos seguintes temas: performance e performatividade de gênero e da sexualidade, cidade, erotismo, cultura popular e etnografia experimental. É pesquisador no grupo Concepções Filosóficas do Corpo em Cena (CNPq) e professor do Programa de Pós-Graduação em Artes da Universidade Federal do Ceará.

David da Paz

É artista híbrido e educador, integra o Coletivo Curto-Circuito, foi coordenador do Laboratório de Arte Pública/Liquidificador Sem Tampa e dos projetos “Situacionautas” e “Inventando Situ-Ações Performativas e Navegando por Trajetórias Entre Signos no Espaço Público Urbano”. Realizou (2013-2014) o projeto CartografictiONs – Pequenas Máquinas de Inventar Mundos/III Internacional do Movimento dos Sem Satélite e SpaceLab. David da Paz já desenvolveu inúmeras intervenções-obras-experiências artísticas e educativas em suas derivas pelo cotidiano (Fortaleza, Crato, Juazeiro, Recife, Río de Janeiro, Visconde de Mauá, Moromba, Sao Paulo, Rio de Janeiro, Brasilia, Porto Alegre, Lisboa, Santiago de Compostela, Madrid, Vigo, Paris, Londres) das cidades que passou.

Yuri Firmeza

Graduação em Artes Visuais pela Faculdade Integrada da Grande Fortaleza. Mestre em Poéticas Visuais pela Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo/ECA­USP. Exposições individuais: Projeto Ruínas, Casa Triângulo, São Paulo, Brasil (2014); Turvações Estratigráficas, Museu de Arte do Rio [MAR], Rio de Janeiro, Brasil (2013); Voragem, Demolden Video Project, Santander, Spain (2013); Este Lado Para Cima, Casa Triângulo, São Paulo, Brasil (2011); e Vida da minha vida, Centro Cultural Banco do Nordeste, Fortaleza, Brasil (2011). Além de dezenas de participações em exposições coletivas Brasil afora. Prêmios: Prêmio CNI SESI Marcantonio Vilaça, Brasil (2009); Prêmio 55o Salão de Abril, Fortaleza, Brasil (2004); Menção Honrosa no VI Salão Sobral, Casa de Cultura de Sobral, Sobral, Brasil (2003).

9. Teatro

Thiago Arrais

É diretor teatral. Bacharel em Direção Teatral pela UFRJ, mestre em Artes Cênicas pela USP, Doutorando em Estudos Artísticos pela Universidade de Coimbra. Dirigiu, pelo Coletivo Soul, os espetáculos “Rãmlet Soul”, “Nossa Cidade ­ uma Peça para Acampamentos”, “Hamlet:Solo” e “Ros&Guil Estão Mortos”. Trabalhou com grandes encenadores do teatro brasileiro, como Antonio Abujamra, Aderbal Freire­Filho e José Celso Martinez Correia.

Cacá Araújo

É professor de língua portuguesa, folclorista, poeta, cordelista, dramaturgo, ator e diretor de teatro. Com intensa participação na vida cultural caririense, foi presidente da Fundação Cultural J. de Figueiredo Filho e Secretário de Cultura do Crato (1997/1998), e fundou e presidiu por oito anos (2000/2008) a Fundação do Folclore Mestre Eloi (Crato­CE). Atualmente é diretor da Cia. Brasileira de Teatro Brincante, membro­fundador da Sociedade Cariri das Artes e Coordenador do Ponto de Cultura Cena Brincante, em Crato­CE, e Vice­Presidente do SATED/CE. Desde 2001 realiza a Festa Popular da Malhação do Judas, evento sacro­profano em forma de auto medieval. Em 2009, criou e até hoje dirige a Guerrilha do Ato Dramático Caririense – mostra de espetáculos de teatro e dança produzidos na região do Cariri, no contexto da luta em favor da diversidade, respeito à afirmação da identidade cultural brasileira, especialmente por destacar a dramaturgia e a encenação produzidas na região como fortes elementos identitários do povo radicado nesta região do país.

Danilo S. Pinho

Atua no teatro como ator, encenador, professor e pesquisador. Graduado em fonoaudiologia, é mestre em artes cênicas pela Universidade Federal da Bahia. Reside em Fortaleza, onde há 10 anos leciona no curso de licenciatura em Teatro como professor efetivo do Instituto Federal do Ceará. Áreas de interesse: a arte do ator, especialmente a estética da voz falada, a mímica corporal e a dinâmica da transição no trabalho do ator.

 

10. Pontos no Dragão (Pontos de Cultura)

Xauí Peixoto

Militante nas temáticas de juventude e cultura, integra o Coletivo Reggart e o Movimento Social das Culturas. Prestou assessoria parlamentar na Câmara Municipal de Fortaleza, de 2006 a 2012. Como produtor cultural, coordenou a programação do Festival Latinoamericado de Juventudes em Fortaleza (2010 e 2011), coordenou o Pôr do Sol da Juventude (2009 e 2010), o I Circuito Sociocultural das Juventudes em Fortaleza (2011) e participou da coordenação e curadoria da Mostra de Cultura Reggae do Ceara?Reggart (2011-2014). Como gestor cultural, entre 2013 e 2014, atuou na Secretaria de Cultura do Ceará como Coordenador da Estação Chico da Matilde e da Rede Cearense de Ponto de Cultura. Em 2014 e 2015, prestou assessoria na Secretaria de Cultura do Ceara e atualmente presta consultoria para o projeto Mapeamento de Cultura do Ceará e para o projeto Temporada de Arte Cearense, do Centro Dragão do Mar.


Maria Silma Moreira Magalhães

Iniciou a vida profissional como assistente social da Fundação de Serviço Social de Fortaleza, trabalhando nos bairros do conjunto Palmeiras e Conjunto Marechal Rondon, desenvolvendo atividades de apoio à organização comunitária dessas comunidades. Em 1994, ingressou no INCRA/CE, através de concurso público. Desenvolveu vários trabalhos na área de assessoria de projetos de assentamento, de capacitação, planejamento e gênero. Em âmbito nacional, coordenou vários grupos de trabalho interinstitucionais. Desde 2003, coordena o PACRA – Projeto Arte e Cultura na Reforma Agrária, desenvolvendo atividades de políticas públicas de cultura para os assentamentos, elaboração de projetos culturais e assessoria na implantação e gestão de projetos culturais. A partir de 2010, passou também a coordenar o GT Nacional de Cultura do INCRA.

Zeno Falcão

Formado pela Escola de Arte Dramática TABLADO, no Rio de Janeiro, e na Escola de Música VILLA-LOBOS, também no Rio. Teve a oportunidade de participar em três produções de Telenovelas da Rede Globo, participou também de algumas produções na CINÉDIA. Desde então, foram várias atuações em comunicação e eventos cultuais em Sobral. Em 2009, fundou a ONG o Instituto de Comunicação Sociocultural Canto da Iracema, com a elaboração, produção e administração de projetos socioculturais e ambientais, como o projeto Ponto de Cultura Cedro Canto Cultural, que desde 2013 funciona no município de Cedro, região centro sul do estado do Ceará. O Ponto de Cultura Cedro Canto Cultural oferece cursos semiprofissionalizantes e integralmente gratuitos para jovens filhos de agricultores do município.

 

 

12.05.2015

 

Luciana Vasconcelos (85) 87338829
Assessoria de Comunicação e Marketing
Instituto Dragão do Mar
Telefones: 85 3488.8625/ 8970.8081

Giselle Dutra
Gestora de Célula/Secretarias
85 9922.2712 / 8801.2382

Coordenadoria de Imprensa do Governo do Estado – Casa Civil
comunicacao@casacivil.ce.gov.br / 85 3466.4898

Assessoria de Comunicação e Marketing
Instituto Dragão do Mar
Telefones: 85 3488.8625/ 8970.8081