Exportações cearenses crescem em outubro e têm melhor desempenho do ano

20 de novembro de 2013

As exportações cearenses apresentaram, em outubro, o melhor desempenho deste ano, quando somaram US$ 174,3 milhões, superior em 11,57%  ao total exportado em setembro, de US$ 156,2 milhões. O resultado de outubro, quando comparado ao mesmo mês do ano passado, quando as exportações somaram US$ 121,4 milhões -, é ainda melhor, pois cresceram 43,4%. O desempenho do mês passado reforça uma recuperação das exportações do Ceará, ao observar a trajetória crescente do Comércio exterior do Estado, retomada a partir de julho de 2012.

De acordo com o Enfoque Econômico nº 89 – Comércio Exterior Cearense (outubro 2013) -, que acaba de ser divulgado pelo Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará (Ipece), Órgão vinculado à Secretaria de Planejamento e Gestão (Seplag) do Governo do Estado, as elevações das exportações nos últimos meses podem ser explicadas, em parte, pelo preço do dólar, que se mantém em torno dos R$ 2,20 desde junho de 2013, e pelo aumento das exportações de combustíveis minerais. O trabalho pode ser acessado na página www.ipece.ce.gov.br

Já as importações, que alcançaram o montante de US$ 360,4 milhões em outubro, também registraram um leve incremento de 7,9% em relação ao mês anterior e uma redução de 11% quando comparadas ao mesmo período de 2012. O saldo da balança comercial do Ceará (exportações e importações) totalizou déficit de US$ 186 milhões, superior em 4,72% quando comparado ao saldo do mês de setembro. A corrente de comércio exterior cearense (soma dos valores exportados e importados) obteve no mês de outubro uma alta de 9,1% em relação a setembro, com valor de US$ 534,7milhões. 

No acumulado dos dez primeiros meses de 2013, as receitas obtidas pelo Ceará com as exportações alcançaram o valor de US$ 1,076 bilhão, registrando um aumento de 2,9% em relação ao mesmo período de 2012, concretizando a recuperação das vendas externas do estado, que já superam o valor das vendas de 2012, para esse mesmo período. As importações, por sua vez, apontaram alta de 27,4%, na mesma comparação, resultando em um novo valor recorde, atingindo a quantia de US$ 2,861 bilhões.

Com o resultado obtido no ano (janeiro a outubro), a balança comercial apresentou-se novamente deficitária, registrando o maior déficit acumulado dos últimos anos, com valor de US$ 1,785 bilhão. Diante desses valores, a corrente de comércio exterior do Ceará apresentou um novo recorde para o acumulado do período, com valor de US$ 3,938 bilhões, tendo registrado alta de 19,6% na comparação com o mesmo período do ano anterior.

Produtos

O Fuel oil, que está dentro do grupo Combustíveis minerais, sozinho mais uma vez, assumiu a liderança da pauta de exportação cearense no mês de outubro de 2013, com US$ 70,2 milhões em vendas externas, participando com 40,3% de tudo que o Estado exportou no mês.  Já o grupo Calçados e Partes ficou em segundo lugar, com a quantia exportada de US$ 30,4 milhões, com participação de 17,5% da pauta cearense.  Em seguida estão as Frutas (exceto castanha de caju) com valor de aproximadamente US$ 17,5 milhões; Couros e Peles com US$ 16,1 milhões, Castanha de caju, com US$ 9,6 milhões e Preparações alimentícias, com US$ 5,9 milhões. Esses seis segmentos representaram 85,9% de toda a pauta de exportações do Estado.

O aumento nas exportações cearenses ocorreu principalmente pela exportação do Fuel oil, que obteve um incremento de 29,75% em relação ao mês anterior e um crescimento de 1.256,3% quando comparado com o mesmo período de 2012. Também pelo aumento das vendas externas de Preparações Alimentícias , que aumentaram 69,36%, comparadas ao mês anterior;  Lagostas, que aumentaram 41,91% e Castanha de caju, que subiram 22,08%. As contribuições negativas vieram das reduções nas exportações de Têxteis  (-69,36%) e Couros e peles (-11,94%).

No tocante aos grupos importados, os Combustíveis minerais foram os principais itens comprados pelo Ceará, atingindo o valor de US$ 165,4 milhões, com uma participação de 45,9% no total da pauta de importação. Desse grupo destaca-se a importação de Gás natural liquefeito, que representou aproximadamente 97,5%. Os Produtos metalúrgicos ficaram em segundo lugar, com participação de 17,0%. As importações de Produtos Químicos representaram 7,3% das compras do Ceará, tendo como principais produtos desse grupo clorpirifos e glifosato e seu sal de monoisopropilamina. As importações de Máquinas e equipamentos continuam em alta, atingindo o valor de US$ 25,8 milhões.

20.11.2013

Assessoria de Imprensa do Ipece

Casa Civil ( comunicacao@casacivil.ce.gov.br / 85 3101.3508)