Pediatras do HGF são treinados para realização do Teste do Olhinho

5 de outubro de 2010

Em comemoração ao Dia Mundial da Visão (14 de outubro), o Hospital Geral de Fortaleza se engaja na Campanha do Teste do Olhinho, uma realização nacional do Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO), em parceria com a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP).

 

Nesta quarta-feira, 6 de Outubro, pediatras do HGF passam por um treinamento ministrado pela oftalmologista Dra. Islane Verçosa. As aulas de como realizar o Teste do Olhinho (ou Teste do Reflexo Vermelho) acontecem das 18h às 20h, no Auditório Principal da unidade.

 

A realização do teste é de grande importância, considerando que mais de 50% dos recém-nascidos só têm alterações diagnosticadas quando já estão cegos ou quase cegos, permanentemente (dados da Sociedade Brasileira de Oftalmologia Pediátrica). Detectada precocemente, a cegueira infantil pode ser tratada ou prevenida.

 

O Teste do Olhinho

 

Também chamado de Teste do Reflexo Vermelho, é o mais importante teste de triagem para a prevenção da Cegueira Infantil. É um exame simples, rápido e indolor que não precisa do uso de colírios e deve ser realizado na primeira semana de vida do bebê, em qualquer local como o berçário e/ou consultório.

 

Para ser realizado, é necessário um aparelho de uso de todo médico, o oftalmoscópio direto, que emite uma luz (uma espécie de pequena lanterna) e, aproximado de 50 centímetros a um metro dos olhos da criança, possibilita a observação do reflexo que vem das pupilas. Se os olhos estiverem saudáveis, refletirão tons de vermelho, laranja ou amarelo. Caso contrário, a observação de cores não é possível ou sua qualidade é inferior, de cor esbranquiçada. A própria comparação dos reflexos dos dois olhos ajuda a detectar, por exemplo, as diferenças de grau (dioptrias) ou casos de estrabismo.

 

As doenças mais identificadas pelo Teste do Olhinho são:

– Catarata Congênita (importante causa da cegueira infantil);

– Retinoblastoma (tumor intraocular mais frequente na infância);

– Retinopatia na Prematuridade;

– Glaucoma congênito;

– Persistência do vítreo primário hiperplásico;

– Doença de Coats;

– Toxoplasmose;

– Toxocaríase;

– Hemorragia vítrea;

– Colomboma.

 

Em alguns Estados brasileiros (RJ, SP, PR, MS, MG, e DF), o teste é obrigatório por lei, devendo ser realizado nos recém-nascidos ainda na alta da maternidade. O mesmo vale para os municípios de Campinas, Campos do Jordão, Diadema, Itapeva, Recife e Porto Alegre. No Ceará, ainda não é obrigatório.

 

05.10.2010

 

Assessoria de Comunicação HGF:

Gild Barroso (gildabarroso@gmail.com  – 3101.7086)