Curso prepara técnicos para respostas rápidas às emergências em saúde

30 de julho de 2010

O Ceará está se preparando para a formalização da sua unidade de respostas rápidas (URR), que fará parte da rede do Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (Cievs), do Ministério da Saúde. De 2 a 6 de agosto, a Secretaria da Saúde do Estado realiza o Curso Básico em Resposta às Emergências em Saúde, das 8h30min às 18 horas, no Hotel Mareiro, Avenida Beira Mar, 2380, Meireles. Participarão do curso técnicos de Vigilância Epidemiológica dos municípios de Itapipoca, Maracanaú, Juazeiro do Norte, Fortaleza, Sobral, Sobral, Canindé, Quixadá, Baturité, Iguatu, Aquiraz, Tianguá e Acaraú. Capacitados, esses técnicos serão responsáveis pelas Investigações de surtos em sua área de abrangência no nível regional com alimentação de dados para o Cievs estadual.

 

Além das situações de crise, o Cievs funciona como ferramenta de trabalho fundamental para coordenar as atividades de emergência do sistema nacional de vigilância em saúde. Seu foco principal é o acompanhamento de um conjunto de doenças, que por seu elevado potencial de disseminação e/ou riscos à saúde pública necessita de monitoramento constante por parte do Ministério da Saúde. Além disso, o Cievs também acompanha a ocorrência de “agravos inusitados”, que são casos ou óbitos de doença de origem desconhecida ou alterações no padrão epidemiológico de doenças conhecidas, momento indicativo de uma emergência em saúde.

 

A emergência em saúde vai além do conceito de doença infecciosa e abrange outros aspectos, tais como desastres naturais e acidentes inusitados de questão ambiental. Além do Brasil, apenas quatro outros países nas Américas dispõem de serviço semelhante. A Rede Cievs está se estruturando em todos os estados para a captação de notificações, manejo e análise de dados e informações estratégicas para a prática da vigilância em saúde.

 

A notificação pode ser compreendida como uma prestação de contas sobre o que está ocorrendo em cada região e, caso a região não consiga controlar o evento, será possível encaminhar essa situação a um nível maior, podendo chegar até a Organização Mundial de Saúde. O grande benefício das URRs é o de prevenir o aparecimento de agravos.

 

Em junho de 2005 teve início o processo de implantação do Cievs, com visitas a grandes centros de alerta e resposta. Dois anos depois, ocorreu a implantação da primeira unidade estadual, no Rio Grande do Norte. Organizado pelo Ministério da Saúde, o Cievs concentra informações de todo o país, nas áreas de vigilância epidemiológica, ambiental, sanitária e de setores como laboratórios e assistência em saúde. Até 2011, o Ministério tem como meta implantar 53 unidades de respostas rápidas (URR) em todo o território nacional.

 

30.07.2010

 

Assessoria de Imprensa da Sesa:

Selma Oliveira (soliveira@saude.ce.gov.br 85 3101.5220)