Especialização em Saúde Mental abre com aula inaugural

21 de junho de 2010

O I Curso de Especialização em Saúde Mental da Escola de Saúde Pública do Ceará será aberto nesta terça-feira (22), às 19 horas, com uma aula inaugural no auditório Ciro Gomes. Na ocasião, o médico Luiz Odorico Monteiro, fará uma palestra sobre “A Reforma Sanitária e a Reforma Psiquiátrica: caminhos percorridos”.

O Curso, que será ministrado pelas Coordenadorias de Pós-Graduação em Atenção à Saúde e Gestão em Saúde da ESP-CE, em parceria com a Secretaria da Saúde do Ceará, tem como objetivo desenvolver nos participantes os conhecimentos, habilidades e atitudes necessárias para a realização das ações no âmbito da saúde mental, com base nas seguintes competências: aplicação das normas e diretrizes do SUS e da Política Nacional de Saúde Mental no contexto da sua prática clínica; aplicação dos principais instrumentos utilizados na gestão dos serviços de saúde mental; atuação na Atenção à Saúde Mental, por meio de técnicas e estratégias para avaliação, diagnóstico, tratamento e acompanhamento das patologias mais frequentes; atuação em equipe interdisciplinar para garantia de assistência integral em saúde mental; elaboração de projeto de intervenção no campo da Saúde Mental.

Essa especialização tem como público-alvo os profissionais do Sistema Único de Saúde que atuam na Rede de Atenção à Saúde Mental do Município de Fortaleza ou na Secretaria da Saúde do Estado do Ceará.

O Curso possui carga horária total de 460 horas, composta de 240 horas de atividades presenciais, divididas em 12 encontros de 20 horas; 60 horas de atividades descentralizadas e 60 horas de atividades à distância e 100 horas de atividades de estudos individuais para elaboração do Trabalho de Conclusão do Curso – TCC. Os módulos deverão ser realizados no prazo de sete meses e o TCC deverá ser apresentado, obrigatoriamente, até seis meses após o término dos módulos.

Estão sendo ofertadas 35 vagas, das quais 30 são destinadas aos profissionais ou gestores que atuam na rede de atenção à saúde mental do Município de Fortaleza e 5 para profissionais que atuam na Secretaria da Saúde do Estado do Ceará.

Política Nacional de Saúde Mental

A Política Nacional de Saúde Mental do SUS, apoiada na lei 10.216/02, busca consolidar um modelo de atenção à saúde mental aberto e de base comunitária. Isto é, que garante a livre circulação das pessoas com transtornos mentais pelos serviços, comunidade e cidade, e oferece cuidados com base nos recursos que a comunidade oferece. Este modelo conta com uma rede de serviços e equipamentos variados tais como os Centros de Atenção Psicossocial (CAPS), os Serviços Residenciais Terapêuticos (SRT), os Centros de Convivência e Cultura e os leitos de atenção integral (em Hospitais Gerais, nos CAPS III). O Programa de Volta para Casa que oferece bolsas para egressos de longas internações em hospitais psiquiátricos, também faz parte desta Política.

Consoante com diversas experiências de reforma da assistência psiquiátrica no mundo ocidental e as recomendações da Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS) contidas na Carta de Caracas (1990), o Ministério da Saúde, a partir da década de 90, definiu uma nova política de saúde mental que redireciona paulatinamente os recursos da assistência psiquiátrica para um modelo substitutivo, baseado em serviços de base comunitária. Isto é, que oferecem cuidados na comunidade e em articulação com os recursos que a comunidade oferece. Incentiva-se a criação de serviços em saúde mental públicos e territorializados (território é a designação não apenas de uma área geográfica, mas das pessoas, das instituições, das redes e dos cenários nos quais se dão a vida comunitária), ao mesmo tempo em que se determina a implantação de critérios mínimos de adequação e humanização do parque hospitalar especializado.

Mais informações: 85 3101.1405 / 1429

 

21.06.2010

Assessoria de Imprensa da ESP

3101.1398

O I Curso de Especialização em Saúde Mental da Escola de Saúde Pública do Ceará será aberto nesta terça-feira (22), às 19 horas, com uma aula inaugural no auditório Ciro Gomes. Na ocasião, o médico Luiz Odorico Monteiro, fará uma palestra sobre “A Reforma Sanitária e a Reforma Psiquiátrica: caminhos percorridos”.

 

O Curso, que será ministrado pelas Coordenadorias de Pós-Graduação em Atenção à Saúde e Gestão em Saúde da ESP-CE, em parceria com a Secretaria da Saúde do Ceará, tem como objetivo desenvolver nos participantes os conhecimentos, habilidades e atitudes necessárias para a realização das ações no âmbito da saúde mental, com base nas seguintes competências: aplicação das normas e diretrizes do SUS e da Política Nacional de Saúde Mental no contexto da sua prática clínica; aplicação dos principais instrumentos utilizados na gestão dos serviços de saúde mental; atuação na Atenção à Saúde Mental, por meio de técnicas e estratégias para avaliação, diagnóstico, tratamento e acompanhamento das patologias mais frequentes; atuação em equipe interdisciplinar para garantia de assistência integral em saúde mental; elaboração de projeto de intervenção no campo da Saúde Mental.

 

Essa especialização tem como público-alvo os profissionais do Sistema Único de Saúde que atuam na Rede de Atenção à Saúde Mental do Município de Fortaleza ou na Secretaria da Saúde do Estado do Ceará.

 

O Curso possui carga horária total de 460 horas, composta de 240 horas de atividades presenciais, divididas em 12 encontros de 20 horas; 60 horas de atividades descentralizadas e 60 horas de atividades à distância e 100 horas de atividades de estudos individuais para elaboração do Trabalho de Conclusão do Curso – TCC. Os módulos deverão ser realizados no prazo de sete meses e o TCC deverá ser apresentado, obrigatoriamente, até seis meses após o término dos módulos.

 

Estão sendo ofertadas 35 vagas, das quais 30 são destinadas aos profissionais ou gestores que atuam na rede de atenção à saúde mental do Município de Fortaleza e 5 para profissionais que atuam na Secretaria da Saúde do Estado do Ceará.

 

Política Nacional de Saúde Mental

 

A Política Nacional de Saúde Mental do SUS, apoiada na lei 10.216/02, busca consolidar um modelo de atenção à saúde mental aberto e de base comunitária. Isto é, que garante a livre circulação das pessoas com transtornos mentais pelos serviços, comunidade e cidade, e oferece cuidados com base nos recursos que a comunidade oferece. Este modelo conta com uma rede de serviços e equipamentos variados tais como os Centros de Atenção Psicossocial (CAPS), os Serviços Residenciais Terapêuticos (SRT), os Centros de Convivência e Cultura e os leitos de atenção integral (em Hospitais Gerais, nos CAPS III). O Programa de Volta para Casa que oferece bolsas para egressos de longas internações em hospitais psiquiátricos, também faz parte desta Política.

 

Consoante com diversas experiências de reforma da assistência psiquiátrica no mundo ocidental e as recomendações da Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS) contidas na Carta de Caracas (1990), o Ministério da Saúde, a partir da década de 90, definiu uma nova política de saúde mental que redireciona paulatinamente os recursos da assistência psiquiátrica para um modelo substitutivo, baseado em serviços de base comunitária. Isto é, que oferecem cuidados na comunidade e em articulação com os recursos que a comunidade oferece. Incentiva-se a criação de serviços em saúde mental públicos e territorializados (território é a designação não apenas de uma área geográfica, mas das pessoas, das instituições, das redes e dos cenários nos quais se dão a vida comunitária), ao mesmo tempo em que se determina a implantação de critérios mínimos de adequação e humanização do parque hospitalar especializado.

 

Mais informações: 85 3101.1405 / 1429

 

Assessoria de Comunicação e Marketing da ESP-CE