Abastecimento d´água gera qualidade de vida e cidadania em Aracati

27 de Abril de 2018 # #

André Gurjão - Assessoria de Imprensa da SDA
André Gurjão - Fotos

Na comunidade rural de Aroeiras, um sonho de mais de 10 anos se torna realidade mesmo diante do desafio do Governo do Ceará em gerenciar os recursos hídricos

“Eu dormia de noite e pensava ´se o carro-pipa não passar amanhã, como vai ser?´. Tinha dia que tinha água e dia que tinha não. Passava de dois, três dias”, disse Otília Sena, de 76 anos. A moradora da comunidade Aroeiras, no município de Aracati, representa uma das 127 famílias atendidas pelo sistema de abastecimento d´água entregue pelo Governo do Ceará e não esconde a emoção de enxergar na conquista o rosto do próprio marido que morreu faz três anos, sem poder ver a água passando pela torneira de casa.

“Eu, quando me casei, tinha 23 anos de idade e morava aqui mesmo na Aroeira, do outro lado acolá, mais longe. Vim morar aqui nessa casa e graças a Deus não me faltou mais nada. Meu marido era agricultor, trabalhador, batalhador, e lutava muito pela comunidade. Foi uma pessoa com muita garra de andar atrás dessa água que ele morreu e não viu. Mas quem ficou viu, né”, contou. “Eu trabalho aqui nesse roçado, mas quando tô limpando ele tá do meu lado, me ajudando. Eu tenho aquela fé que ele tá aqui mais eu”, se emocionou.

Para celebrar essa conquista, o secretário-chefe da Casa Civil, Nelson Martins, e o secretário do Desenvolvimento Agrário, Francisco de Assis Diniz, entregaram, na noite da última quinta-feira (26), a ação do Projeto São José, orçada em R$ 810.155,54. “Essa foi uma das obras mais rápidas entregues pelo São José. Nós demos a ordem de serviço em novembro do ano passado e, segundo me informou o presidente da associação (dos Moradores da Comunidade Aroeiras, Ézio Célio), no final de fevereiro todos vocês já tinham água na torneira”, citou Nelson Martins, que representou o governador Camilo Santana, na ocasião.

O abastecimento em questão capta a água do Canal do Trabalhador, que é tratada e distribuída direto para os chuveiros, pias e torneiras das 127 casas, facilitando o dia a dia das donas de casa e o trato com as crianças. “Água é vida, mas também é saúde para essas famílias que estão aqui presentes. Elas, sim, poderão dedicar mais tempo e atenção aos seus filhos e netos sem serem atingidos por doenças e até mesmo pela facilidade de um benefício desses estar chegando dentro de suas residências”, pontuou De Assis Diniz.

 

Um pequeno relato sobre o tempo

“Até sem energia você consegue viver, mas água não: água é vida. Sem ter água você vai ter sede. Não vai ficar sujo, vai tomar banho. Tem que lavar a roupa e as panelas”, explicou Ézio Célio, de 38 anos. “Meu pai era agricultor pobre, só produzia pro sustento da casa um feijãozinho e a farinha, e a água era difícil. A gente não tinha o Canal do Trabalhador. Pegava água de cacimba, barreiros, riachos e vivia dessa água porque não tinha outra opção. Depois foi melhorando com os carros-pipa, as cisternas (do programa Água Para Todos) e, agora, para fechar com chave de ouro, chegou água nas torneirinhas”.