Estação João Felipe encerra atividades segunda-feira (13)

10 de Janeiro de 2014

A histórica estação João Felipe, primeira parada da Linha Oeste (Fortaleza-Caucaia) suspenderá as atividades de embarque e desembarque no próximo dia 13 de janeiro. As obras são para a construção da Linha Leste, que será subterrânea e sairá em direção a regiões como o Centro de Eventos do Ceará e Fórum Clóvis Beviláqua. O percurso será subterrâneo, mas é necessária a escavação para que as tuneladoras, as máquinas responsáveis por escavar a terra, sejam enterradas. A área de onde as tuneladoras partirão passará pelos trilhos que dão acesso à estação João Felipe.

Há mais de 30 anos o bombeiro e eletricista Hamilton de Araújo, 64, sai do Conjunto Ceará, onde mora, e toma o trem da Linha Oeste para as atividades do Centro. Ele acompanhou a evolução dos trens. “Antes não havia tanto conforto. Depois colocaram esses trens novos (VLTs e remodelamento dos antigos Pidneers) e ficou bem melhor”, relata Hamilton. Ele diz que sentirá saudades de descer na estação João Felipe. “Mas se for para melhorar, é bem vinda a mudança”, destaca.

Para substituir a João Felipe, uma outra está sendo construída. O acesso será feito pela rua Padre Mororó, no Centro, ao lado da estação Chico da Silva, da Linha Sul. De lá, o usuário poderá tomar, das 8 horas ao meio-dia, o metrô para qualquer estação da Linha Sul podendo, por exemplo, descer na estação José de Alencar e, tomando o ônibus em seguida. Equipes ligadas à Companhia Cearense de Transportes Metropolitanos (Metrofor) distribuem panfletos orientando a população sobre a mudança.

Existe um projeto de tornar o equipamento, já tombado, como um espaço de lazer e cultura. A estação fica ao lado de outros locais históricos ou de lazer, como o passeio público de Fortaleza; como o mercado central, o prédio da 10ª Região Militar e o Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura.

Pinacoteca

A Pinacoteca do Ceará, projeto que já tinha assegurados R$ 5,5 milhões em investimento pelo Governo do Estado, contará com mais R$ 17 milhões em recursos do Tesouro Estadual para ser instalada, nos Galpões da antiga RFFSA, ao lado da Estação João Felipe, no Centro de Fortaleza, até dezembro deste ano. Em reunião realizada nesta semana com a direção da Secretaria da Cultura do Estado, o governador Cid Gomes confirmou o novo montante, para a inauguração da Pinacoteca em 2014.

Com esse novo aporte de recursos, o investimento do Governo do Estado, através da Secretaria de Cultura, na reforma dos equipamentos culturais mantidos pela administração estadual, incluindo a criação da Pinacoteca, chega a R$ 74 milhões, com todas as obras – em equipamentos como o Cine São Luiz, o Theatro José de Alencar, o Museu do Ceará, o Arquivo Público, a Biblioteca Pública Menezes Pimentel, o Centro Dragão do Mar, o Centro Cultural Bom Jardim, a Casa de Cego Aderaldo (em Quixadá), a Casa de Antônio Conselheiro (em Quixeramobim), entre outros – devendo ser concluídas em 2014.

A Pinacoteca do Ceará será instalada nos sete galpões da antiga Rede Ferroviária Federal S/A (RFFSA), na Praça da Estação, no Centro de Fortaleza. A desocupação do último galpão está sendo concluída, e as obras incluem adaptações para refazer as fachadas originais do prédio (erguidas em 1926), resgatando formato e cores. Também serão construídas uma oficina multifuncional e seis ateliês livres. Serão 6.300 metros quadrados apenas para a circulação dos visitantes e área total de mais de 7 mil metros quadrados.

A oficina multifuncional será equipada para oferecer o suporte necessário em marcenaria, serralheria, pintura, elétrica e hidráulica aos curadores e expositores. Com a estrutura disponível, os artistas e responsáveis por exposições poderão desenvolver trabalhos na própria oficina multifuncional.

A Pinacoteca também contará com seis ateliês livres, para receber residências artísticas, e um espaço para a reserva técnica dotado das condições ideais para segurança e acondicionamento das obras pertencentes ao acervo que não estiverem expostas.

“A Pinacoteca é um projeto de enorme importância para a cultura, a arte, o turismo, a cidade, o Estado. Além de ser um espaço para reunir o acervo de obras de grandes autores cearenses, hoje de posse do Governo do Estado, será um equipamento capaz de ampliar a inserção do Ceará na rota de exposições internacionais, favorecendo o diálogo entre artistas e público, entre local e internacional”, destaca o secretário de Cultura, Paulo Mamede, ressaltando que o espaço terá três eixos, batizados em homenagem a Raimundo Cela, Aldemir Martins e Antonio Bandeira, e incluirá um museu interativo, com equipamentos de imagem e som, além da Casa da Gravura, dedicada à xilo.

“A reserva técnica da Pinacoteca será uma das mais modernas, muito bem estruturada e em condições perfeitas de temperatura e umidade”, detalha Carlos Macedo, responsável pelo projeto da Pinacoteca desde a sua concepção, no início da segunda gestão do governador Cid Gomes.

História

Tombada pelo decreto 16.237 de 1983, a estação João Felipe começou a ser construída em fins do século XIX, na época do imperador Dom Pedro II. Uma placa alusiva à data de finalização, 1880, encontra-se na estação. Na época, chamava-se estação Central. Dela partiam trens para a Caucaia, para a antiga estação da Parangaba, para Baturité, dentre outras destinos.

O engenheiro Hamilton Pereira, autor de três livros sobre ferrovias, explica que primeira estação era menor que a atual. Devido a uma forte seca entre os anos de 1877 a 1879, Fortaleza recebeu muitas pessoas fugidas da forte estiagem. Esta mão de obra foi a que ajudou a erguer o prédio conhecido hoje. O nome ficou sendo estação central até 1956, quando passou a se chamar Professor João Felipe, que foi também engenheiro ferroviário e político.

Em comemoração ao centenário da estação, um mosaico do artista plástico Descartes Gadelha foi instalado na década de setenta. Também durante este período a estação  passou por reformas. “Eu trabalhava aqui na época em que foi feita a elevação das plataformas para receber os (trens modelo) pidner, que eram mais altos”, relembra Hamilton Nogueira. Na época, além da elevação, uma segunda plataforma de trens foi construída.

Saiba mais:

-No mês de novembro de 2013 quase 304  mil passageiros utilizaram a Linha Oeste.
-A média diária de passageiros na estação João Felipe em novembro foi de aproximadamente 3.400.
-Atualmente Veículos Leves sobre Trilhos (VLTs), fabricados em Barbalha, e Pidners, todos com ar-condicionado, fazem o percurso da Linha Oeste.
-O preço da passagem é de R$ 1,00 a inteira e R$ 0,50 a meia passagem.
-Antes de ser uma estação, a área da João Felipe foi o cemitério São Casemiro.
-No século XIX e parte do século XX uma linha de trem passava pela rua Tristão Gonçalves em direção à Parangaba. Hoje, parte da Linha Leste também passará pela via, mas de forma subterrânea e em direção à Igreja da Sé.
-Em dezembro do ano passado foi assinada uma parceria entre os governos Federal e Estadual para modernizar a Linha Oeste. O investimento, da ordem de R$ 1,2 bilhão, eletrificará e duplicará os 19,5 quilômetros de extensão. Serão construídas novas estações, além de túneis, passarelas de pedestres e viadutos.

10.01.2014

Assessoria de Imprensa do Metrô de Fortaleza e Assessoria de Imprensa da Secult

Marcos Cavalcante – Ascom Metrofor (85 3101.7115 – 8563.3186)

Dalwton Moura (85 3101.6761)