Livro “Jangadeiros” será lançado nesta quinta-feira (21) no Dragão do Mar

21 de Março de 2013

O Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura, em parceria com a editora Civilização Brasileira, lança nesta quinta-feira (21) o livro “Jangadeiros: uma corajosa jornada em busca de direitos no Estado Novo”. O lançamento acontece às 18 horas, no Auditório. O livro de Berenice Abreu conta a história real de homens simples que, num ato de extrema bravura, partem do Ceará ao Rio de Janeiro, em uma pequena jangada, em busca do reconhecimento dos seus direitos, o que os fez ganhar projeção nacional e internacional, além de terem assegurados benefícios sociais para a categoria.

A narrativa se passa em pleno Estado Novo, num período histórico do país marcado pela busca do presidente Vargas em construir uma ideia positiva do povo e dos trabalhadores do Brasil. Desta forma, o episódio protagonizado pelos jangadeiros cearenses se constituiu em ação exemplar de construção de uma identidade nacional. A autora fala sobre como os jangadeiros e o Estado getulista apostaram no feito e se aproveitaram dos dividendos materiais e simbólicos que dele foram extraídos.

A autora

Berenice Abreu é mestre em Sociologia (UFC, 1997) e doutora em História Social (UFF, 2007). Leciona no curso de graduação da Universidade Estadual do Ceará, sendo colaboradora do Programa de Pós-graduação em História Social da UFC. Continua pesquisando viagens de jangadeiros com fins reivindicatórios, dessa vez destacando aquelas realizadas na década de 1950, para Porto Alegre e Buenos Aires.

Sinopse

Os jangadeiros… Com eles, o mar, o peixe, o sol, o vento e até a tempestade. Os jangadeiros… Quem se lembra dos desenhos de Percy Lau sobre os tipos regionais do Brasil, ilustrando mapas e cadernos escolares, entre os quais os jangadeiros tinham destaque, pois representavam a força, a coragem, mas também a pobreza do pescador? Os jangadeiros… Quem sabe seus nomes? Em 1941, em pleno Estado Novo de Getúlio Vargas, eles se deram a conhecer nacionalmente, tomando a cena, como protagonistas de uma autêntica epopeia. Eram Jacaré, Jerônimo, Manoel Preto e Tatá, e vieram do Ceará ao Rio de Janeiro em uma jangada! Inacreditável, mas verdadeiro. É dessa viagem que a autora do livro trata, com calor e riscos, algo bem próprio aos percursos de jangada.

Mas tal viagem para quê? Mais inacreditável ainda: para reivindicar direitos que entendiam possuir e que poderiam melhorar suas vidas e a de centenas de milhares de outros pescadores. Em nome disso, em estratégia arriscada, porém sensacional, arriscaram-se pelos mares, legitimando-se para um encontro com o próprio presidente Vargas. Tudo bem no tom do Estado Novo: tempos de liderança pessoal do Chefe, de ausência de direitos políticos e de presença de direitos sociais, em especial os trabalhistas. O feito ganhou a atenção da imprensa e das autoridades políticas. Os jangadeiros viraram notícia de jornal, de rádio e, inclusive, filme do americano Orson Welles. E não foi só isso, já que desfilaram com sua jangada em cima de um caminhão, pelas principais ruas da capital federal.

Foram acolhidos com muita festa e tiveram reconhecimento, que veio pelo decreto presidencial incorporando os pescadores ao Instituto de Aposentadoria e Pensão dos Marítimos (IAPM), que assegurava benefícios sociais para a categoria. Só que as tempestades não os assolaram apenas na viagem de ida para o Rio. Elas foram duras e constantes, como se lerá neste livro de enredo cinematográfico e cheio de aventuras, interpretadas como uma forma de acesso às difíceis condições de vida de muitos trabalhadores brasileiros que, apesar de tudo, encontravam formas de se dar a ver como atores principais, mesmo dividindo o palco com muitos de renome: políticos, intelectuais e a imprensa, entre outros. Uma história incrível, com elementos de tragédia que surpreendem qualquer um. Mas a autora a enfrentou com a mesma determinação de seus personagens, como o leitor pode conferir. Não antecipando o final, juro a vocês, It’s All True.

Serviço:

Lançamento “Jangadeiros: uma corajosa jornada em busca de direitos no Estado Novo”
Data: 21 de março de 2012
Hora: 18h
Local: Auditório do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura (Rua Dragão do Mar, 81 – Praia de Iracema)
Valor do livro: R$ 39,90

Contatos para entrevista: Berenice Abreu 8803.2197 / 3224.7270

21.03.2012

Assessoria de Imprensa do Centro Cultural Dragão do Mar

Luciana Vasconcelos (85 3488.8625 – 8733.8829)