1.488 análises de balneabilidade das praias de Fortaleza feitas pela Semace em 2012

17 de Janeiro de 2013

A Superintendência Estadual do Meio Ambiente (Semace), por meio da Gerência de Análise e Monitoramento (Geamo), divulga o balanço da balneabilidade das praias da orla de Fortaleza, referente ao ano de 2012. De acordo com a autarquia, foram realizadas um total de 1.488 análises de coliformes termotolerantes em atendimento ao Programa de Monitoramento da Balneabilidade das Praias de Fortaleza.

Em 2012, a superintendência emitiu 52 boletins semanais de Classificação de Índice de Praias Próprias e Impróprias para Banho em Fortaleza. O balanço seguiu um comparativo contemplando a observação das evoluções positivas e negativas da qualidade das águas entre 2011 e 2012. Os laudos foram realizados com base nos critérios estabelecidos pela Resolução do Conselho Nacional do Meio Ambiente N° 274 de 2000.

Para a Geamo, os dados qualitativos do ano de 2012 comparado ao ano de 2011 apresentaram uma diminuição de pontos impróprios para banho. Essa constatação teve como principal fator a redução das precipitações pluviométricas durante o ano passado, além da ampliação do sistema de esgotamento sanitário que está sendo executado através do Programa Sanear II. “De acordo com as análises da qualidade das águas das praias e das fontes poluidoras, observamos que as desconformidades apresentadas quanto à balneabilidade, estão estreitamente relacionadas com a disposição de esgotos sem tratamento nas galerias de águas pluviais, rios e riachos que deságuam no mar”, analisa a gerente da Geamo, Magda Kokay.

 

Setor Leste

De acordo com a equipe técnica do laboratório da Geamo, no setor Leste, o ponto de coleta “Farol”, durante todo o ano de 2012, foi classificado como “Impróprio”, permanecendo com a mesma classificação do ano anterior. Eles informaram, ainda, que apesar disso, a implantação do Sistema de Esgotamento Sanitário em algumas ruas daquela região fez diminuir o aporte de esgoto “in natura” lançado nas galerias de águas pluviais que ali desaguava.

No primeiro semestre do ano passado, as águas das praias dos pontos “Ismael Pordeus” e “Barraca Beleza” possuíam classificações “Satisfatória” e “Muito Boa”, respectivamente. Já no segundo semestre, obtiveram classificações excelentes. Os pontos de coleta “Caça e Pesca”, “Arpão Praia Bar”, “Barraca Itapariká”, “Hawaí”, “Praça 31 de março”, “Barraca América do Sol” e “Clube de Engenharia” permaneceram com categoria “Excelente”.

 

Setor Centro

O ponto de coleta “Iate” permaneceu com classificação “Imprópria”. Já os pontos “Volta da Jurema”, “Clube Diários”, “Inace” e “Ponte dos Ingleses” permaneceram com a classificação “Excelente”. Foram observadas evoluções positivas da balneabilidade em relação ao semestre anterior nos pontos de coleta “Mucuripe”, “Estátua de Iracema”, “Ideal Clube” e “Edifício Arpoador”, principalmente os pontos “Estátua de Iracema” e “Ideal Clube”, que no primeiro semestre apresentaram classificações impróprias, passaram a apresentar satisfatórias no segundo semestre. O ponto de coleta “Mucuripe” passou de “Satisfatória” no primeiro semestre para “Excelente” no segundo semestre. Essa tendência foi observada para o ponto “Edifício Arpoador” que passou de “Muito Boa” no primeiro semestre para “Excelente” no segundo semestre.

 

Setor Oeste

Os pontos “Marina’s Park Hotel” e “Av. Philomeno Gomes” permaneceram com classificação “Excelente”. Os pontos de coleta “Kartódromo” e “ Goiabeiras”, com denominação “Muito Boa”. Com relação ao ponto “Barraca Big Jeans” observou-se que no semestre anterior obteve classificação “Imprópria”, ocorrendo, logo depois, uma melhoria no segundo semestre passando a ser nomeado como “Muito Boa”.

Os pontos “Av. Pasteur” e “Horta”, que apresentaram classificação “Muito Boa” e “Satisfatória”, respectivamente, durante o primeiro semestre de 2012, passaram a ser “Impróprios” no segundo semestre.

Já os pontos “Colônia”, “Início da Rua Lagoa do Abaeté” e “Barra do Ceará”, apresentaram classificação “Imprópria”. Este setor continua sendo o de maior preocupação quanto à qualidade das praias.

Segundo a Geamo, o setor Oeste da Capital apresentou altos índices de contaminação por coliformes termotolerantes durante todo o ano, ocasionados, principalmente, pelo grande número de residências sem saneamento básico construídas, em sua maioria, na área de praia e que lançam o esgoto domiciliar sem tratamento, diretamente no mar.

 

17.01.2013

Assessoria de Comunicação da Semace
Ana Luzia Brito ( comunicacao@semace.ce.gov.br / 85-3101.5554)
Twitter: @Semace
Facebook: semace.gov