TJA comemora 102 anos e realiza I Festival Internacional de Artes Cênicas

14 de junho de 2012

Durante a semana de aniversário de 102 anos, o Theatro José de Alencar (TJA), abre o Zona de Transição – I Festival Internacional de Artes Cênicas do Ceará. De 15 a 24 de junho, o centenário palco recebe mais de 40 produções da Argentina, Brasil, Colômbia, Dinamarca, Espanha-Guiné Bissau, Guatemala, Itália e Paraguai.  E realiza seminário com diretores, programadores e produtores de  festivais artísticos da Argentina, Brasil, Costa Rica, Colômbia, Cuba, Panamá e Uruguai.

O I Festival Internacional de Artes Cênicas do Ceará concentra suas ações nos vários espaços do próprio TJA e migra pelo Centro, a área de Fortaleza que tem o maior número de equipamentos culturais da cidade.  Assim, integram a programação espetáculos, intervenções  e performances que despontam em diversos palcos: os múltiplos espaços fechados e abertos do TJA, praças,  ruas  e espaços não convencionais, como a Reitoria da Universidade Federal do Ceará (UFC).  O Zona de Transição diz do desejo e necessidade de convidar a cidade, de convocar a cidade, de falar com muitas das cidades que Fortaleza abriga.

Para a diretora do TJA, a proposta tem a ver da relação que temos como espectadores dos produtos culturais e não somente consumidores. “Talvez uma das possibilidades de um festival artístico passe pela construção de público, de invenção de público para além da compreensão de público como sinônimo de consumidor. Talvez um festival artístico possa convocar a atenção pública para algo mais além da compra e venda que atravessa quase todas as nossas relações hoje. No caso do Zona de Transição, convocar a atenção para as artes cênicas, para o TJA, para o Centro de Fortaleza a área que concentra o maior número de equipamentos culturais da cidade e, muito provável, a área mais explicitamente degradada de Fortaleza ”, pontua.

Uma promoção do Governo do Estado do Ceará por meio da Secretaria da Cultura e Theatro José de Alencar, o Zona de Transição é uma realização da Fundação Amigos do Theatro José de Alencar e Instituto de Cultura e Arte do Ceará (Incarte).

Festival mantém o caráter de escola dos encontros internacionais do TJA

O Festival amplia as duas edições anteriores do  Zona de Transição, que  aconteceu em 2009 e 2010 como Encontro Internacional de Artes Cênicas do TJA. Uma realização do Governo do Estado do Ceará – Secult que tem como uma proposta de intercâmbio reunindo espetáculos e uma escola livre de circo, dança e teatro.  A proposta dos encontros se expandiu para o formato de festival, contemplando discussões abertas (o Seminário Cidades e Festivais de Artes), espetáculos de acesso gratuito ou com preços subsidiados (ingressos variam: R$ 2 e 4, R$ 5 e 10, R$ 10 e 20),  Zona Escola Livre com ações de formação do artista e formação do espectador (demonstração técnica de processo de trabalho, ensaio aberto, desmontagem de espetáculo, roda de conversa e debate),  e a itinerância por cidades do interior do Ceará.

Pensando na formação do artista e na formação do espectador, o projeto coloca em cena 10 espetáculos internacionais em diálogo com mais de 30 produções do Ceará, Bahia, Distrito Federal, Paraná, Paraíba, Pernambuco, Rio de Janeiro e São Paulo.

O Ceará entra em cena com mais de vinte obras de Arneiroz (Sertão dos Inhamuns, 5 horas de Fortaleza), Fortaleza, Itapipoca (Litoral Oeste, 2 horas de Fortaleza) e Juazeiro do Norte (Cariri, Sul do Ceará, 8 horas de Fortaleza).  Desde abertura de processo de criação de espetáculo (01) a ensaios abertos (02), passando por pré-estreia (01) e estreia (03), o Ceará participa com produções em diferentes formatos, como números circenses de circos itinerantes do Estado (Mirtes Circo, Circo Teatro Pimenta e Circo Motoka), que se revezam na programação especial no Lar Torres de Melo, residência de idosos em Fortaleza, dia 11 de junho, antecipando o festival. No Lar Torres de Melo, o Circo Sem Lona  é uma ação conjunta com a Associação dos Proprietários, Artistas e Escolas de Circo do Ceará (Apaece).

Mostra Inédito & Dispersos reúne 11 obras curtas

É também do Ceará a coletânea de 11  produções que compõe a Mostra Inéditos & Dispersos, dedicada a trabalhos cênicos curtos, de até 15 minutos de duração.  O objetivo é estimular a partilha com o público de trabalhos que não trafegam no tempo convencional de espetáculo, como exercícios, experimentos, intervenções, novos ou não.

A extensão ao interior do estado,  com o Circuito Teatros Centenários do Ceará, passa pelos  teatros São João, em Sobral (Zona Norte, 4 horas de Fortaleza), e o Pedro II, em Viçosa (Chapada da Ibiapaba, 5 horas de Fortaleza), que recebem o palhaço argentino Tomate, com espetáculo  e atividade de formação, respectivamente nos dias 19- 20 e 20-21.  A primeira edição do Zona de Transição, em 2009, fez extensão com teatro de bonecos, indo até Sobral e o Teatro da Ribeira dos Icós, em Icó (Centro Sul, 5 horas de Fortaleza).

O Zona de Transição conta com outras possibilidades de relação com o público. É o caso da  Caixinha de Teatro, da Cia. Epidemia de Bonecos, teatro de formas animadas em uma caixa de fotógrafo lambe-lambe. Serão três encenações de um minuto cada, para um espectador a cada vez. Na categoria Ensaio Aberto,  duas companhias mostram a parte do trabalho quase sempre invisível ao público:  “A mão na face”, do grupo Bagaceira, com Marta Aurélia como atriz convidada; e “Boca de Siri”, primeiro solo do ator e diretor Carri Costa, criador da Cia. Cearense de Molecagem.  O grupo Teatro Máquina, por sua vez, faz a abertura de processo de criação do espetáculo “Leonce&Lena”, com estreia prevista para outubro de 2012. O Máquina também apresenta  “Myrna”. A partir dos textos de Nelson Rodrigues como a consulta sentimental Myrna, a intervenção acontece em filas de acesso de espetáculos do dia 23. Junto com “Bravíssimo”, solo do ator e diretor Ricardo Guilherme, é a reverência do festival ao dramaturgo pernambucano que faria 100 anos de nascimento em 2012.

II Virada do TJA: No dia 17 de junho de 2012, o Theatro José de Alencar completa 102 anos. E propõe uma nova edição da viradinha cultural. A programação inicia às 13 horas de sábado (16). A última atividade começa às 20 horas de domingo. A I Virada do TJA aconteceu em julho de 2010, ano do centenário da instituição. A programação cruza com a da mostra Conexões Latinas, que apresenta dois shows musicais a partir das 22 horas de sábado (16), na Praça José de Alencar: da cantora Tiê (SP) e do grupo Tangheto (Argentina). Em seguida aos shows, performances no TJA e festa com DJs convidados.

14.06.2012

Atendimento à Imprensa

Email: festivalzonadetransicao@gmail.com