Transplante de rim: 1ª central de perfusão da América Latina é do HGF

4 de junho de 2012

Já está funcionando no Hospital Geral de Fortaleza (HGF) a primeira Central de Perfusão Hipotérmica da América Latina. Com seis máquinas de perfusão, a Central  vai permitir o aumento do número de transplantes de rim realizados no Ceará, melhorar a qualidade do órgão transplantado e diminuir o tempo de internação do paciente, resultando em redução dos custos dos transplantes. O Governo do Estado investiu R$ 635.111,51 na aquisição das seis máquinas e dos kits de soluções para a implantação da Central de Perfusão Hipotérmica, que entrou em funcionamento no dia 15 de maio.

A máquina de perfusão hipotérmica conserva e recupera órgãos que apresentem alterações de funcionamento ou de doador acima de 55 anos. Com o equipamento, os médicos podem atestar a viabilidade do órgão a ser transplantado, o que reduz o risco de insucesso. Além disso, a disfunção inicial do rim transplantado deverá diminuir de 60% para 5%, mesma taxa registrada nos EUA. Por causa da disfunção inicial, 60% dos pacientes transplantados de rim precisavam fazer hemodiálise nas primeiras semanas após a cirurgia.

A Central de Perfusão do HGF vai permitir, ainda, a redução do descarte de órgãos e o envio para centros transplantadores de outros estados. Somente em 2012, de janeiro a maio, o Ceará enviou 19 rins para os estados de Pernambuco, Bahia, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Com a melhor condição de atestar a viabilidade dos órgãos para transplante, esses rins permanecerão no Ceará. Além disso, com a Central de Perfusão, o HGF se habilita a receber órgãos descartados por outros centros transplantadores, o que contribuirá para o aumento do número de transplantes no Estado.

Este ano, o Ceará realizou 97 transplantes de rim, até o dia 31 de maio. Em 2011, o número total de transplantes de rim foi de 256. Na lista de espera, há no Estado 245 pacientes aguardando transplante. Der acordo com o Registro Brasileiro de Transplantes (RBT), da Associação Brasileira de Transplantes de Órgãos (ABTO), o Ceará tinha uma taxa de 21,8 transplantes de rim por milhão da população no primeiro trimestre deste ano, período em que havia realizado 46 transplantes. A taxa situava o estado na nona colocação no país. Com a Central de Perfusão do HGF, a expectativa é a conquista de posições com a realização de maior número de transplantes.

 

04.06.2012

Assessoria de Comunicação da Sesa

Selma Oliveira ( selma.oliveira@saude.ce.gov.br / 85 3101.5220 – 5221)