Qualificação de mão-de-obra é a principal base de desenvolvimento do CIPP

31 de maio de 2012

Propostas de cursos superior, técnicos e tecnológicos; definição de diretrizes de cada secretaria responsável pela capacitação de mão-de-obra  para o Complexo Industrial e Portuário do Pecém (CIPP); e resolução de impasses afim de aprimorar o desenvolvimento do Complexo e, consequentemente, do Estado. Esses foram os principais temas discutidos na reunião do governador Cid Gomes com diversos setores da indústria e do comércio, secretários de Estado, representantes da Assembleia Legislativa e de prefeituras, no Palácio da Abolição, nesta quinta-feira (31). “Nos reunimos aqui com as mais diversas inteligências para receber sugestões para este que é atualmente o maior setor de desenvolvimento do Ceará. São cerca de 330 mil km² e muitas oportunidades de trabalho. Para isso, precisamos de mão-de-obra qualificada para suprir a demanda do CIPP”, explicou o Governador.

As secretarias da Educação (Seduc), do Trabalho e Desenvolvimento Social (STDS), e da Ciência e Tecnologia (Secitece) são as principais responsáveis pela qualificação de profissionais para o CIPP. “Encontros como esses são necessários para evitar superposição de secretarias”, disse Cid Gomes. A Secitece é responsável pela educação técnica e superior, a STDS trabalha com pessoas em situação de vulnerabilidade social, e a Seduc continua focada na formação de Ensino Médio e Profissionalizante, com as Escolas Estaduais de Educação Profissionalizantes (EEEPs). “Só nos arredores do Complexo, são sete EEEPs: duas em Caucaia, uma em São Gonçalo do Amarante, uma em Paraipaba, uma em Paracuru, uma em Pentecoste e uma em Trairi, afirmou o secretário-adjunto da Educação, Maurício Holanda.

Outros projetos na área da educação também são imprescindíveis para o desenvolvimento do CIPP, como o e-Jovem, para alunos que já concluíram ou estão concluindo o Ensino Médio em escolas públicas, e o Pronatec, que realiza ações de formação técnica e profissional de pessoas que se encontrem em situação de vulnerabilidade pessoal e social. Além disso, projetos que contemplam os municípios, como o Projeto Primeiro Passo, que dá oportunidade a jovens de 16 a 22 anos vindos da escola pública, e o Juventude Empreendedora, que garante a formação básica dos jovens, bem como qualifica-os profissionalmente, proporcionando vivências práticas de intervenção social na sua comunidade e encaminhamento para o mercado de trabalho. Mais um importante projeto é o Centro de Treinamento Técnico do Ceará (CTTC), que está sendo construído no Pecém e será um dos responsáveis pela capacitação profissional para as empresas instaladas no CIPP.

CIPP_31_MaioUm complexo de saúde nos entornos do Pecém foi mais um dos temas discutidos na reunião. Segundo o secretário da Saúde, Arruda Bastos, “todas as 22 microrregiões terão uma policlínica. No início de julho, a policlínica de Caucaia já será inaugurada, assim como um Centro de Especialidades Odontológicas (CEO), e um em São Gonçalo do Amarante que será reformado. Toda a área também terá cobertura das Unidades de Pronto Atendimento (UPAs 24 horas) e o atendimento do SAMU já está universalizado na região. O Complexo também ainda será próximo ao Hospital Regional Metropolitano, que ainda não tem localização definida, mas certamente atenderá essa área”.

Nas questões da infraestrutura, o Governador afirmou que até setembro deste ano, irá triplicar a oferta de água na região, com a construção da adutora para atender principalmente a Siderúrgica. “São R$ 1,5 bilhão destinados ao tratamento de esgoto, redes de coleta e construção do emissário, que ficará a 3 mil metros da costa”, disse Cid. O Governo do Estado também já está realizando a duplicação da rodovia CE-085, que terá seus 62 quilômetros duplicados e sofrerá uma intervenção em seu traçado para implantação da refinaria Premium II, desafogando o principal acesso ao Complexo, a CE-155. “Abriremos também uma via no setor III do Complexo para a disponibilização de mais lotes para indústrias”, concluiu Cid Gomes.

Em conclusão, Cid afirmou que é necessário criar um grupo de trabalho para alertar a iniciativa privada das oportunidades existentes no CIPP. Para o Governador, “em reuniões como essa, é que buscamos criar e aperfeiçoar toda a base em infraestrutura e mão de obra para receber os mais diversos setores dispostos a se implantar no nosso Estado”.

Estavam presentes na reunião os secretário estaduais, Eduardo Digo (Seplag), Adail Fontenele (Seinfra), Arruda Bastos (Saúde), Evandro Leitão (STDS), Camilo Santana (Cidades), Bismark Maia (Turismo), Ferrucio Feitosa (Secopa), Ivan Bezerra (Cede), Roberto Smith (Adece), Gotardo Gurgel (Cagece), José Ricardo (Semace), Fernando Carvalho (Etice), Assis Diniz (IDT); Gerente Geral de Relações Institucionais, Comunicação e Sustentabilidade na CSP – Companhia Siderúrgica do Pecém, Ricardo Parente; o Presidente da CDL, Freitas Cordeiro; o Diretor Geral da Faculdade CDL, Honório Pinheiro; o superintendente Sebrae, José de Guimarães Oliveira; vice-presidente em exercício da Fecomércio-CE, Ranieri Leitão; presidente da Faec, Flávio Saboya; o presidente do Sindiônibus e diretor da Federação dos Transportes – Cepimar, Dimas Barreira; o coordenador executivo do projeto da CSU, Marcos Chiorboli; a diretora regional do Senac/CE, Ana Cláudia Martins; e os prefeitos de Caucaia, Washington Góes e de São Gonçalo do Amarante, Walter Júnior.

O que é o CIPP

O Complexo Industrial do Pecém (CIPP) ocupa uma área de 13.300 hectares nos municípios de São Gonçalo do Amarante e Caucaia, na Região Metropolitana da Fortaleza, que vai receber siderúrgica, refinaria, Zona de Processamento de Exportações (ZPE), polo petroquímico, polo eletrometalmecânico e a área institucional com o Centro de Treinamento Técnico do Ceará (CTTC), indústria e serviços para o Complexo. Durante a implantação do Complexo serão gerados 55 mil empregos diretos e 20 mil empregos indiretos.

O CIPP está inserido na chama retroarea do Porto do Pecém, no município de São Gonçalo do Amarante. Inaugurado em 2002, opera com cargas gerais e de contêineres de navios de grande porte, que podem atracar graças ao calado natural de 16 metros. Nos últimos anos recebeu mais de R$ 1 bilhão de investimentos para aumentar se adequar à demanda dos futuros empreendimentos.

31.05.2012

Coordenadoria de Imprensa do Governo do Estado

Casa Civil (comunicacao@casacivil.ce.gov.br / 85 3466.4898)