Governador lança 1º etapa da campanha contra a aftosa nesta sexta feira (01)

31 de maio de 2012

O Governador Cid Gomes, acompanhado do Ministro da Agricultura, Mendes Ribeiro Filho, lança nesta sexta-feira (01) a abertura oficial da primeira etapa da Campanha de Vacinação Contra a Febre Aftosa de 2012. A solenidade acontece às 16 horas, no Parque de Exposições João Passos Dias, em Sobral. A meta para este ano é superar os números de 2011 quando o Ceará bateu todos os recordes estabelecidos pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, vacinando mais de 94% do rebanho. O Ceará tem cerca de 2 milhões e 500 mil animais (bovinos e bubalinos).

O último caso registrado de febre aftosa no Ceará foi em 11 de abril de 1997, no município de Porteiras, no Cariri.  A dose da vacina continua com preço médio de R$ 1, 50. A multa para quem não vacinar o rebanho ainda é de R$ 13, 43 por cabeça. Os animais podem ser vacinados até 30 de junho. As vacinas já estarão disponíveis nas revendas na manhã desta sexta feira (01).

A febre aftosa é uma doença contagiosa, causada por vírus de rápida multiplicação. O animal infectado apresenta feridas na boca, nos lábios, tetas e nos cascos. Os bichos também se afastam do rebanho, babam, não comem e não bebem água.

Sorologia

A campanha de vacinação, que geralmente acontece em maio, foi adiada para junho em virtude do processo de sorologia do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento  (Mapa). É que o Estado atingiu a pontuação mínima exigida pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento e luta para alcançar o status de zona livre com vacinação.

Os bovinos do Estado terão o sangue colhido a partir de 18 de junho. O procedimento se estenderá por 30 dias. O objetivo é testar o sangue dos animais para a febre aftosa. 241 propriedades foram sorteadas. Cerca de 20 animais de cada fazenda, entre 6 e 12 meses, serão avaliados. Caso não haja animais suficientes dessa faixa etária, a idade pode se estender até os 24 meses.

O resultado sairá em 90 dias. Durante esse período, os animais não podem ser vendidos ou transferidos para outra propriedade. Também não será possível vacinar esses animais contra a febre aftosa. O controle será feito através de um brinco padronizado pela Agência de Defesa Agropecuária do Ceará (Adagri), órgão responsável pela colheita e fiscalização no Ceará.

Caso o resultado seja positivo, o teste será refeito, como explica o Presidente da Adagri, Augusto Júnior , “o segundo teste será feito porque o exame pode ser falso positivo, uma reação da vacinação de novembro”, explica.

Barreiras

Ovinos, caprinos, suínos e bovinos do Rio Grande do Norte e da Paraíba estão proibidos de cruzar a fronteira com o Ceará, sem a autorização do Serviço Oficial, desde a última terça feira (15). A barreira vale também para produtos oriundos desses animais. O estado de Pernambuco também fechou a fronteira com a Paraíba.

As barreiras foram fechadas porque Rio Grande do Norte e Paraíba não se adequaram as normas do Ministério para pleitear o status de zona livre de febre aftosa com vacinação. Profissionais que atuam nas barreiras estão orientados a voltar para a origem, todos os produtos e animais desses estados.

Caso os produtos e animais sejam identificados dentro do Ceará, os animais serão sacrificados e os produtos incinerados. “A única maneira desses animais circularem no Estado, é se eles estiverem em quarentena observada pelo Mapa”, explica o Presidente da Adagri,  Augusto Júnior,

Os Estados do Ceará, Piauí, Maranhão, Pernambuco e Alagoas atingiram as metas e seguem agora para o processo de sorologia.

31.05.2012

Assessoria de Comunicação da Adagri

Amanda Sobreira (amanda.sobreira@adagri.ce.gov.br / 85 3101.8137)

Twitter.com/@adagri