Carro Fumacê percorre ruas dos 119 bairros de Fortaleza

28 de maio de 2012

A Secretaria da Saúde do Estado inicia na tarde desta segunda-feira (28) o quarto ciclo de nebulização com fumacê para controlar a infestação do mosquito da dengue em 18.473 quarteirões dos 119 bairros da capital. O serviço, que ocorre pela quarta semana consecutiva, utiliza 30 veículos, sendo 25 do Ministério da Saúde e os outros cinco próprios da Sesa. O ciclo de vida do mosquito determina a frequência semanal da pulverização.

O Aedes aegypti evolui da fase de ovo ao mosquito adulto de sete a dez dias. Na passagem do fumacê, a recomendação aos moradores é abrir as janelas e portas para o inseticida alcançar o mosquito que está dentro de casa, nos jardins e quintais. O inseticida só mata o mosquito adulto, que está voando. Isso significa que os ovos e as larvas devem ser eliminadas pelas famílias a partir dos cuidados com tudo que acumula água, principalmente limpando e tampando as caixas d’água. Não jogar lixo nas ruas também é uma atitude de prevenção e de consciência coletiva de saúde.

O Aedes aegypti caracteriza-se por apresentar comportamento estritamente urbano, sendo raro encontrá-lo em áreas silvestres. Em média, o mosquito vive em torno de 30 dias, e a fêmea chega a colocar entre 150 e 200 ovos de cada vez. A fêmea, apesar de copular somente uma vez, tem capacidade de desovar várias vezes durante sua vida. Essas desovas estão condicionadas à ingestão de sangue e ocorrem após 2 ou 3 dias, por isso necessita alimentar-se periodicamente. É durante essa alimentação que, se ela estiver infectada, pode transmitir o vírus da dengue ou se contaminar com o vírus, caso se alimente de uma pessoa que esteja com dengue. Uma vez infectada com o vírus da dengue, a fêmea torna-se vetor permanente da doença.

Os mosquitos Aedes aegypti ficam dentro das casas ou no peridomicílio. Geralmente procuram locais sombreados e com pouco vento para repousar. A fêmea do mosquito pica o indivíduo infectado, mantém o vírus em sua saliva e o retransmite em novas picadas. A transmissão ocorre pelo ciclo homem-Aedes aegypti-homem. Após ingerir sangue infectado, o inseto fêmea fica em período de incubação. Depois desse período, o mosquito torna-se apto a transmitir o vírus durante toda a sua vida. O controle da transmissão do vírus torna-se possível a partir do quarto ciclo de fumacê.

De acordo com o boletim epidemiológico semanal divulgado na sexta-feira, 25, o Ceará confirmou 14.199 casos de dengue em 123 municípios. Fortaleza teve 9.894 casos confirmados. Em todo o Estado foram confirmados cinco óbitos por dengue hemorrágica e três por dengue com complicação. Em investigação há 29 óbitos.

 

28.05.2012

Assessoria de Imprensa da Sesa

Selma Oliveira / Marcus Sá – (85) 3101-5220