HGF e Centro de Diabetes vão à praça e a shoppings para prevenir doenças da tireoide

27 de Maio de 2011

Com um dia inteiro de serviços à população, a Secretaria da Saúde do Estado integra o Ceará nas atividades da Semana Internacional da Tireoide, iniciada no dia 23. Neste sábado (28) equipes do Centro Integrado de Diabetes e Hipertensão (CIDH), Hospital Geral de Fortaleza e da Sociedade Cearense de Endocrinologia e Metabologia realizarão exame clínico comum (apalpar a tireoide para identificar anormalidades), com encaminhamento de casos suspeitos para laboratórios e unidades de saúde. As atividades acontecerão na Praça dos Estressados, na Avenida Beira Mar, das 6h30min às 10h30min, na Praça José de Alencar, das 8 às 12 horas, e nos shoppings Iguatemi e North Shopping, das 14 horas às 20 horas.

As mulheres em particular e os idosos são mais suscetíveis às doenças da tireoide. No Brasil, segundo o Ministério da Saúde, cerca de 10% das mulheres acima de 40 anos e 20% das que têm mais de 60 anos de idade têm problemas relacionados à tireoide. A tireoide é uma glândula localizada na região anterior do pescoço, em forma de borboleta. Os hormônios tireoidianos são responsáveis pela regulação do metabolismo e pelo controle do funcionamento de diversos órgãos. Esses hormônios interferem diretamente em processos como crescimento, ciclo menstrual, fertilidade, sono, raciocínio, memória, temperatura do corpo, batimentos cardíacos, eliminação de líquidos, funcionamento intestinal, força muscular e controle do peso corporal. Quando a tireóide não está funcionando adequadamente pode liberar hormônios em excesso (hipertireoidismo) ou em quantidade insuficiente (hipotireoidismo), provocando sinais e manifestações clínicas que afetam a qualidade de vida dos pacientes.

De acordo com dados da Sociedade Brasileira Endocrinologia e Metabologia, a tireoidite crônica, inflamação da glândula tireoide, afeta cerca de 10 milhões de pessoas no Brasil, sendo a causa mais frequente de hipotireoidismo. O bócio, um inchaço anormal no pescoço devido a um aumento da glândula tireoide, pode ser causado pela carência de iodo no organismo, tendência genética, medicamentos e outras causas. As doenças da tireóide acometem com maior freqüência as mulheres. Enquanto o hipotireoidismo atinge 3% da população adulta masculina, nas mulheres com mais de 45 anos, sua prevalência salta para 15%.

No Ceará, em 2010, o número de internações para tratamento de distúrbios da tireoide pelo Sistema Único de Saúde (SUS) foi de 96 para homens e 914 para mulheres, totalizando 1.010 internações. Estima-se que aproximadamente 300 milhões de pessoas sofram de disfunções da tireoide em todo o mundo, sendo que  mais da metade desconhecem sua condição.

27.05.2011

Assessoria de Imprensa da Sesa

Selma Oliveira (soliveira@saude.ce.gov.br / 85 3101.5220)