Equipe do HGF participa de encontro internacional sobre Esclerose Múltipla

17 de Maio de 2011

A equipe do ambulatório de Esclerose Múltipla do Hospital Geral de Fortaleza (HGF) participa, entre os dias 18 e 21 de maio, em Recife, da reunião do Comitê Brasileiro de Tratamento e Pesquisa em Esclerose Múltipla (BCTRIMS). O evento internacional vai reunir profissionais de várias partes do mundo para trocar experiências e debater as novidades no diagnóstico e tratamento da esclerose múltipla. Serão apresentados pela equipe do HGF quatro trabalhos, sendo dois relacionados a casos clínicos, um trabalho relacionado à atuação da enfermagem no ambulatório e um trabalho relacionado à análise de parâmetros antrométricos e nutricionais dos pacientes atendidos no ambulatório. Representam a equipe do ambulatório no congresso o médico neurologista Artur D’Almeida, as enfermeiras Patrícia Rocha e Nair Corso e a nutricionista Maria Luiza.

O Comitê foi fundado em 1999, durante histórica reunião presidida por Fernando Coronetti Rocha no I Simpósio de Esclerose Múltipla de Botucatu, quando seus estatutos foram aprovados, e sua primeira diretoria eleita. O BCTRIMS pretende promover a educação de médicos, de cuidadores e portadores através de reuniões, simpósios e congressos em vários pontos do país, divulgando o conhecimento da doença, dos meios de diagnosticá-la e dos avanços em seu tratamento.

No âmbito internacional o BCTRIMS deve trabalhar em íntima cooperação com seus congêneres, o Comitê Latino-americano (LACTRIMS), o Comitê Americano (ACTRIMS) e o Comitê Europeu (ECTRIMS), participando de reuniões conjuntas e de estudos cooperativos.

O que o BCTRIMS propõe é tornar se no Brasil um fôro livre e aberto para o estudo e a discussão de temas relacionados à esclerose múltipla.

O estudo da esclerose múltipla pelo mundo

A esclerose múltipla e as doenças neuroimunológicas são hoje foco de intensa e profícua investigação científica em todo o mundo. O conhecimento de seus mecanismos imunopatogenéticos, de suas características clínicas, de suas diferentes formas de manifestação e de evolução, dos meios de diagnóstico, assim como as novas medidas de intervenção terapêutica revolucionaram a Neurologia deste fim de século.

Em relação à Esclerose Múltipla, a conjunção de ideias e esforços de vários centros se fez necessária para que, através de protocolos uniformes, as experiências nos vários centros pudessem ser somadas em direção a objetivos determinados. Desta maneira fundou-se na Europa o ECTRIMS, e logo depois o ACTRIMS nos Estados Unidos, para coordenar os estudos multicêntricos. Um Comitê Latino-Americano – LACTRIMS – foi recentemente formado, durante o Congresso Pan-Americano em Cartagena, na Colômbia.

Esclerose Múltipla no HGF

Desde 2008, o HGF mantém um ambulatório especializado no tratamento de esclerose múltipla. Hoje, são acompanhados pela equipe multidisciplinar cerca de 70 pacientes. O custo do tratamento varia de 5 a 10 mil reais por mês e não é coberto pela maioria dos planos de saúde. Dor, fadiga, dormência, fraqueza, falta de equilíbrio, incontinência urinária, rigidez e perda de visão são alguns dos sintomas que podem surgir com a doença, que afeta principalmente mulheres entre 15 e 40 anos.

17.05.2011

Assessoria de Comunicação HGF

Gilda Barroso (gildabarroso@gmail.com / 3101-7086)