Subestação de energia é finalizada para testes com Metrô

22 de Fevereiro de 2011

Já está sendo finalizada a montagem da subestação de energia da Estação Rachel de Queiroz que vai ser responsável por energizar o trecho em que serão feitos os testes dinâmicos do Metrô de Fortaleza. Serão energizados 2,8 quilômetros entre as estações Virgílio Távora (antiga Novo Maracanaú) e Rachel de Queiroz (Pajuçara). Os testes dinâmicos devem ser iniciados neste primeiro semestre.

 

A subestação vai receber energia da Coelce e transformar 60 mil volts em corrente alternada para 3 mil volts em corrente contínua. A energia vai suprir a rede aérea em que os trens estarão conectados. Os testes serão feitos nos dois primeiros trens unidades elétricas (TUEs) comprados da Itália que atualmente passam por testes estáticos no Centro de Manutenção, em Pacatuba.

 

Os dois TUEs fazem parte de um conjunto de 20 trens, que formarão 10 composições de 80 metros, cada. Cada composição é formada por três carros: duas caixas com cabine nas extremidades (o que permite que o trem ande nas duas direções sem precisar fazer retorno) e uma caixa só para passageiro no centro. O valor investido pelo Governo do Estado na compra dos trens foi de R$ 240 milhões.

 

Os trens são movidos à tração elétrica. Cada composição de 80 metros tem capacidade de transporte de até 900 passageiros. O equipamento possui assentos acolchoados, bagageiro, sistema de ar-condicionado e são dotados de comunicação sonora e visual para orientação dos usuários. Durante o trajeto, o veículo poderá atingir até 80 km/h.

 

O novo meio de transporte tem também câmeras internas e externas, que contribuem para a segurança dos usuários. O condutor poderá, por exemplo, saber se todos os passageiros já entraram para poder seguir viagem. O equipamento também atende às normas de acessibilidade. As portas do trem são largas, garantindo a entrada de cadeirantes e pessoas com dificuldades de locomoção, e possuem sensor para orientar pessoas com deficiência visual. Nas composições, há assentos com cinto de segurança destinados exclusivamente a cadeirantes.

 

Após a implantação da Linha Sul, o Metrô de Fortaleza, com a integração plena entre os modais de transporte, terá capacidade de transportar cerca de 350 mil pessoas por dia numa primeira etapa. A projeção é que em 2014 sejam beneficiados 675 mil passageiros.

22.02.2011

Assessoria de imprensa do Metrô de Fortaleza

Viviane Lima (viviane@metrofor.ce.gov.br / 85 3101.7183 – 8724.2147)