Emprego: maio registra elevação da ocupação na RMF

30 de junho de 2010

As informações da Pesquisa de Emprego e Desemprego (PED) do mês de maio, na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF), divulgadas nesta quarta-feira (30/6) pelo Ministério do Trabalho, apontam que a Região gerou 10 mil ocupações (0,6%), a primeira variação positiva do ano, e o contingente de ocupados foi estimado em 1.555 mil pessoas. Setorialmente, foram gerados 18 mil postos de trabalho nos serviços, seis mil no agregado outros setores e três mil na Indústria. Tais resultados foram acompanhados pela eliminação de postos de trabalho no comércio (16 mil) e na construção civil (1 mil).

 

Em maio de 2010, ampliaram-se os rendimentos médios reais dos ocupados (1,2%) e dos assalariados (0,8%), que passaram a valer R$ 803 e R$ 905, respectivamente. Os rendimentos dos trabalhadores autônomos também aumentaram (2,8%), correspondendo à remuneração média de R$ 541. Em relação a abril de 2009, a massa de rendimentos reais dos ocupados cresceu 8,2% e a massa salarial, 5,2%. Em ambos os casos, devido ao crescimento do nível de ocupação.

 

“No mês de maio registrou-se a retomada da ocupação, a estabilidade do desemprego e elevação dos rendimentos de ocupados e assalariados. São números positivos, resultados de políticas públicas bem orientadas e de projetos de infraestrutura ”, avalia o presidente do Instituto de Desenvolvimento do Trabalho (IDT), Francisco de Assis Diniz.

 

Nos últimos doze meses, a RMF registrou o maior crescimento do nível de ocupação (7,7%), dentre as áreas metropolitanas pesquisadas: Distrito Federal (5,8%), Recife (5,8%), Salvador (5,6%), São Paulo (3,0%), Porto Alegre (2,5%) e Belo Horizonte (0,8%). Considerando os dados da PED de maio, o contingente de desempregados, das sete regiões onde a pesquisa é realizada (Distrito Federal, Belo Horizonte, Fortaleza, Porto Alegre, Recife, Salvador e São Paulo), foi estimado em 2.904 mil pessoas, 38 mil a menos do que no mês anterior. Dentre as regiões, a RMF registrou a terceira menor taxa de desemprego (10,6%), atrás somente de Porto Alegre e Belo Horizonte.

 

“A taxa de desemprego total permaneceu estável em 10,6%, da População Economicamente Ativa (PEA) e o nível de ocupação apresentou o primeiro resultado positivo do ano. Dados favoráveis, pois a ampliação da ocupação em grande medida tem contribuído para a redução do tempo de desemprego, cuja média caiu de 49 (abril/2009) para 36 semanas, em maio de 2010”, avalia o coordenador estadual do Sine/CE, Ari Célio Mendes.

 

A PED é divulgada mensalmente pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria do Trabalho e Desenvolvimento Social (STDS) e do Instituto de Desenvolvimento do Trabalho (IDT), o Sine/CE, o Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese) e a Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados (Seade).

 

 

 

30.06.2010

Assessoria de Comunicação do IDT

Ana Clara Braga (anaclara@idt.org.br / 3101.5500)